Cotidiano e Poesia | por Vinicius Carvalho
15790
home,paged,page,page-id-15790,page-template,page-template-blog-large-image,page-template-blog-large-image-php,paged-9,page-paged-9,ajax_fade,page_not_loaded,smooth_scroll,boxed,wpb-js-composer js-comp-ver-4.7.4,vc_responsive
0

25 jul Vér – te – bra

Você é de poucos, mas pertence a muitos. Dona dos esbarrões que te ensinaram a ser. Você me ensinou que ninguém passa pela vida sem agregar pessoas, me ensinou que não existe tombo, apenas, experimentamos o chão, pois não se pode seguir adiante sem um…

READ MORE
0

23 jul Com afeto…

O cheiro abstrato do pouco, o júbilo da simplicidade. É bom balançar nos verbos, fazer travessuras, lamber as cores. Eu gosto do avesso, gosto dos trilhos e suas bagagens, eu gosto do “eu.” Eu gosto de ser…  Como estou. Aprendiz de mim. Eu faço rima…

READ MORE
2

20 jul Brincando de vida

A vida não nos muda, nós é que com o tempo aprendemos a mudar o ângulo. Todos os dias atravessamos o silêncio de alguém. Todos os dias construímos abraços nos reinauguramos. A vida é como sentar numa esquina e fazer daquele ponto o nosso marco…

READ MORE
2

06 jul Ósculo

Não nos faltam memórias, adormecemos por entre as frestas de uma noite longa. Somos sem bússola, sem mapa. Sentimos o caminho, inventamos atalhos. Estamos sempre a um passo da porta. – Eu reconheço os seus ponteiros, faço a rima da tua melodia. Somos antigos. Olhares,…

READ MORE
0

26 jun Cedo demais…

A tinta desbota o meu silêncio, umedece a minha saudade. É bom demorar nos afetos, entender a duração de um dia. É bom saber que aquele que precisou partir em algum outro lugar ficará. Gosto de imaginar o acima de nós- me encanta o para…

READ MORE
3

14 maio Tudo passa…

Um estalo, uma estrada, um por do sol. Existem sempre novas tardes, novos goles de vida, novas conversas engasgadas. Somos um detalhe na ternura que nos define, somos o silêncio esquecendo-se da frase, somos as razões do movimento. Somos – em algum canto de nós….

READ MORE
3

22 abr Tem gente olhando…

Eu tenho um lugar na arquibancada da vida. Eu entendi o movimento do medo, descobri que não corro perigo quando estou inteiro. Eu não quero o raso, não quero a metade, eu vou sem peso certo. Hoje eu olho pro chão, pro meu passo firme…

READ MORE
3

13 abr A vida não mente

Sinuosa, generosa. De amores intermináveis. Dona do colo, do fogo. Da saudade. Vida dos olhos líquidos, dos discursos entusiasmados ou de longos silêncios. Vida das cores, da fotografia – sépia e ocres. Você é luz de velas, é sombra, é meia luz – orgulhosa e…

READ MORE
1

07 abr Amanhecer…

Eu sinto dissolver os nós em silêncio, e todos os dias eu preciso ser mais do que aguento. Existem dias que eu penso (nem mais um dia), mas então eu lembro…  Que ainda não dirigi aquele carro, não plantei uma arvore e nem pintei a…

READ MORE